Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.ufam.edu.br/handle/tede/3423
Tipo do documento: Dissertação
Título: Estresse ocupacional em enfermeiros de unidades de emergência no município de Manaus/AM
Autor: Fonseca, José Ricardo Ferreira da 
Primeiro orientador: Lopes Neto, David
Resumo: O trabalho do enfermeiro em emergência, considerado estressante, demanda atenção para realização de atividades com alto grau de responsabilidade e dificuldade, exigindo um esforço físico, mental, emocional e psicológico. O estresse ocupacional é oriundo das tensões no trabalho e as fontes dessas reações são os estressores que podem influenciar o comportamento profissional, comprometendo resultados e a qualidade de vida. Tem a finalidade de avaliar o nível de estresse ocupacional em enfermeiros de unidades de emergência no município de Manaus/AM. Estudo de campo, epidemiológico e transversal, de natureza quantitativa, realizado com 39 enfermeiros de unidades de emergência. Utilizado questionário com questões sobre as características dos participantes e o seu reconhecimento do estresse, 57 questões sobre atividades relacionadas ao trabalho em emergência, associados a escala tipo likert com escala de 1 a 7. Os dados foram coletados nos períodos diurnos e noturnos, nas duas unidades de saúde selecionadas, durante os horários dos plantões, o instrumento era entregue ao enfermeiro e recolhido ao final do plantão. Os resultados mostraram que os enfermeiros estavam em médio nível de estresse com escore de 4.0, as áreas C - Atividades relacionadas ao funcionamento adequado da unidade e área F atividades relacionadas a administração de pessoal foram as mais estressoras. As atividades mais estressoras foram a solicitação de revisão e conserto de equipamentos com escore de 5.4 e, elaborar relatório mensal da unidade com escore de 5.1. O cargo gerencial teve maiores escores de estresse que o assistencial, apesar de não encontrar correlação significativa. Houve correlação entre os níveis de estresse quanto ao tempo de formação, tempo de trabalho em unidades de emergência, vínculo com outra instituição, rodizio de setores da mesma unidade e instituição com nível de significância de <5%. Observou-se correlação significativa dos níveis de estresse com instituição A relacionada ao funcionamento adequado da unidade e a administração de pessoal. Sendo assim, os dados mostram que o estresse dos enfermeiros de emergência está relacionado tanto às atividades do ambiente de trabalho, quanto às características dos sujeitos.
Palavras-chave: Enfermeiros - Estresse ocupacional
Enfermagem de emergência
Enfermagem - Aspectos psicossomáticos
Serviços de saúde de emergência
Occupational stress
Emergency health services
Área(s) do CNPq: CIÊNCIAS DA SAÚDE: SAÚDE COLETIVA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da instituição: UFAM
Departamento: Faculdade de Medicina
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
Citação: FONSECA, José Ricardo Ferreira da. Estresse ocupacional em enfermeiros de unidades de emergência no município de Manaus/AM. 2012. 98 f. Dissertação Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.ufam.edu.br/handle/tede/3423
Data de defesa: 27-Ago-2012
Aparece nas coleções:Mestrado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - José Ricardo Ferreira da Fonseca.pdfDissertação - José Ricardo Ferreira da Fonseca.pdf2,39 MBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.