Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.ufam.edu.br/handle/tede/4389
Tipo do documento: Dissertação
Título: Distribuição e abundância da fauna na área de vida da Comunidade de Pini, em lugares selecionados por caçadores da Floresta Nacional do Tapajós/Pará
Autor: Martins, Marinete Barroso 
Primeiro orientador: Rebêlo, George Henrique
Primeiro membro da banca: Pereira, Henrique dos Santos
Segundo membro da banca: Pinto Henriques, Luiza Magalli
Resumo: A caça é entendida como atividade de abate ou captura de elementos da vida animal, praticada desde os primórdios onde homem já utilizava esta fauna de diversas maneiras como alimentação, vestimenta, medicamentos ou animal de estimação. Na floresta Amazônica essa atividade é prática envolvida na história de sua formação social sendo considerada fonte de proteína para subsistência de populações que nela sobrevivem. Com o objetivo de investigar as estratégias de caça e as relações entre a fauna e pessoas que vivem na comunidade de Pini na Floresta Nacional do Tapajós, foi feita a caracterização das áreas de caça reconhecidas como manchas pelos caçadores locais, assim como foram utilizadas armadilhas fotográficas e entrevistas semi-estruturadas para registrar a fauna silvestre para saber quais animais são consumidos e em quais quantidades pelos moradores da comunidade com o intuito de colaborar com o plano de manejo da área que está em estudo pela Universidade Federal do Pará – UFPA, através do Núcleo de Altos Estudos amazônicos – NAEA, instituição que está buscando medidas de conservação que garanta o manejo prudente e sustentável dos recursos disponíveis para esta comunidade. Assim, foram identificados três tipos florestais:Terra Firme, Capoeira e Igapó e em todos esses locais havia (comidias) fruteiras. Através das armadilhas fotográficas foram registradas 10 espécies de animais sendo os mamíferos: tatu (Dasypus novemcinctus), cutia (Dasyprocta agouti), veado (Mazama americana), irara (Eira barbara), mucura (Didelphis marsupialis) e para as aves: mutum (Mitu mitu), juriti vermelha (Geotrygon violaceae), gavião (Morphnus guianensis), inambu (Tinamus tao) e jacamim (Psophia creptans). Entre as caçadas, as mais registradas foram de espera com a espingarda sendo a arma mais usada. O peixe foi o alimento mais consumido pelos moradores seguido da caça e dentre os animais registrados entre as entrevistas semi-estruturadas, observações diretas e indiretas foram registradas 16 espécies de animais distribuídos em seis ordens e 25 famílias. Entre todos esses animais, as espécies tatu, cutia e inambu foram registrados em todas as técnicas de amostragens e os mamíferos mais abundantes foram: paca, tatu e cutia e para as aves: mutum e inambu e o réptil mais abundante foi tartaruga (Podocnemis expansa). O estudo revelou que mesmo não tendo evidências de sobre-exploração da caça, percebe-se que a fauna caçada está sendo encontrados em manchas mais distantes, portanto, o manejo de caça nesta comunidade pode servir como alternativa econômica de produção de impacto reduzido do ponto de vista social e econômico, podendo existir sustentabilidade desses recursos animais junto à participação social local e esses moradores podem exigir do ICMBio medidas que garantam a autonomia da comunidade, já que o plano é participativo e o envolvimento da sociedade no planejamento sugere medidas de avaliação e fiscalização da exploração de caça pelo órgão competente e isso será de fundamental importância para a manutenção da atividade de caça a níveis sustentáveis desta comunidade da Floresta Nacional do Tapajós.
Abstract: Hunt is seen as an activity of killing or capture of animal life elements, practiced since the beginning of times where man already used animals in different ways as food, clothing, medicine or pet animals. In the Amazon forest this activity is practiced throughout its social formation being considered source of protein to sustenance of populations that survive in it. With the objective of investigate the strategies of hunt and relations between fauna and people that live in the community of Pini, in the National Forest of Tapajós, we characterized the areas of hunt recognized as stains by the local hunters, as were used photographic traps and semi-structured interviews to register the forest fauna to know what animals are consumed and in witch quantities by the local community members with the intent of cooperate with the consumption plan of the unit that is being studied by the federal university of Pará – UFPA, through the Amazon high studies nucleus – NAEA, institution that is searching conservation measures that guarantees the prudent and sustainable consumption of the available resources to that community. So there were identified three types of forests: firm, Capoeira and Igapó, and in all these locations there were (comidias) fruit trees. Through the photographic traps there were registered 10 species of animals, all mammals: armadillo (Dasypus novemcinctus), cutia (Dasyprocta agouti), deer (Mazama americana), irara (Eira barbara), mucura (Didelphis marsupialis) and to birds: mutum (Mitu mitu), red juriti (Geotrygon violaceae), gavião (Morphnus guianensis), inambu (Tinamus tao) e jacamim (Psophia creptans). Between hunts, the most registered were the one the hunter waits over a platform and the shotgun the most used. Fish was the most consumed food by the local residents, followed by hunt and among the registered animals between the semi-structured interviews, direct and indirect observations were registered 16 species of animals distributed in six orders and 25 families. Among all those animals, the armadillo, cutia and inambu were registered in all the techniques of sample and the most abundant mammals were paca, armadillo and cutia and to birds: mutum and inambu, and the most abundant reptile was the tortoise (Podocnemis expansa). The study revealed that even not having evidences about over exploitation of hunt, we can see that the hunted fauna is being found in more distant places, therefore, the exploration of hunt in this community can be as an economic alternative of production of low impact by the social and economic point of view, being able to exist of this animal resources among the local social participation and these villagers can demand from ICMBio measures that guarantee the autonomy of the community, since the participative plan and society involvement in planning suggests measures of evaluation and monitoring of hunt exploitation by the competent authorities and this will be of fundamental importance to the maintenance of the hunt activity to sustainable of this community off the national forest of Tapajós.
Palavras-chave: Fauna
Floresta Nacional do Tapajós
Caçada em esperas
Plano de manejo.
National Forest of Tapajós
Hunt in Hidden Places
Consumption Plan
Área(s) do CNPq: CIÊNCIAS AGRÁRIAS: AGRONOMIA: RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTAL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da instituição: UFAM
Departamento: Faculdade de Ciências Agrárias
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia
Citação: MARTINS, Marinete Barroso. Distribuição e abundância da fauna na área de vida da Comunidade de Pini, em lugares selecionados por caçadores da Floresta Nacional do Tapajós/Pará. 2010. 67f. Dissertação (Mestrado Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2010
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.ufam.edu.br/handle/tede/4389
Data de defesa: 12-Nov-2010
Aparece nas coleções:Mestrado em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Marinete Barroso Martins.pdfDissertação - Marinete Barroso Martins.pdf2,42 MBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.