???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/3259
Tipo do documento: Dissertação
Título: Estratigrafia e paleoambiente da capa carbonática neoproterozóica, sul do cráton amazônico, região de Tangará da Serra (MT)
Autor: Soares, Joelson Lima 
Primeiro orientador: Nogueira, Afonso César Rodrigues
Resumo: O Neoproterozóico é marcado por importantes mudanças climáticas que interferiram da forma crucial na evolução biológica e paleoceanográfica do nosso planeta, sendo caracterizado principalmente por períodos de glaciação global que alcançaram baixas latitudes. Este período dramático da história do planeta está registrado em camadas carbonáticas denominadas de capas carbonáticas que sobrepõem diretamente diamictitos glaciais. Neste trabalho uma capa carbonática neoproterozóica de 20 m de espessura foi descrita na mina Calcário Tangará, região de Tangará da Serra, Mato Grosso. Essa seqüência compreende as formações Mirassol d Oeste (dolomítica) e Guia (calcária) que pertencem à parte inferior do Grupo Araras. A capa dolomítica é composta por dolograinstones peloidais rosados com gradação inversa, laminação plano-paralela e truncamentos de baixo ângulo, alem de camadas descontínuas de cristais fibrosos de calcita (pseudomorfos segundo gipsita?), interpretados como registros de uma plataforma rasa a moderadamente profunda com eventos de hipersalinidade. A capa calcária consiste em siltitos laminados e maciços, ricos em óxido de ferro e calcários finos com acamamento de megamarcas onduladas, interpretados como depósitos de plataforma mista moderadamente profunda dominada por ondas. Calcários finos com laminação ondulada/marcas onduladas e leques de cristais (pseudomorfos segundo aragonita), intercalados com folhelhos, foram interpretados como depósitos de plataforma profunda e supersaturada em CaCO3. Calcários com estruturas de escorregamento incluindo laminações convolutas e falhas sin-sedimentares caracterizam depósitos de talude, enquanto diques neptunianos, preenchidos por brechas calcárias, e camadas deformadas entre camadas não deformadas sugerem atividade sísmica. Três superfícies estratigráficas dividem a sucessão carbonática estudada: S1 separa as capas dolomitica e calcária e é interpretada como superfície transgressiva, enquanto as superfícies S2 e S3, dentro da capa calcária são consideradas limites de fácies. Fácies deformadas ocorrem ao longo de toda a sucessão, separadas por intervalos sem deformação, e foram subdivididas em três pacotes (A, B e C). Os pacotes A e C apresentam estruturas dúctil-rúptil como dobras, falhas e acamamento convoluto, enquanto o pacote B contém estruturas formadas em regime rúptil como falhas e fraturas. A análise de isótopos de C e O mostrou valores negativos semelhantes aos encontrados em outras capas carbonáticas pelo mundo. Os dados de isótopos de 13C apresentam valores entre -4 e -6 na capa dolomítica, enquanto que na capa calcária os valores de 13C alcançam até -7 sem co-variância dos isótopos de 18O, indica alteração por fluidos meteóricos ou pela dolomitização. A sucessão descrita em Tangará da Serra amplia a ocorrência de capas carbonáticas na América do Sul e corrobora com a interpretação de uma extensa plataforma carbonática pós-glaciação Puga, correlata ao evento Marinoano, nesta parte do Cráton Amazônico.
Abstract: The Neoproterozoic is marked by major climatic changes that interfere with the Crucially in biological evolution and paleoceanográfica of our planet, and mainly characterized by periods of low overall glacial that achieved latitudes. This dramatic period in the history of the planet is recorded in layers carbonate termed carbonate layers that overlap directly diamictic glaciers. In this work one Neoproterozoic cap carbonate 20 m thick was Tangara described in Limestone mine, Tangara da Serra, Mato Grosso. That sequence comprises the Mirassol d West formations (dolomite) and Guide (limestone) belonging to the lower group macaws. The cover is composed of dolomitic dolograinstones peloidais pink with inverse grading, a parallel lamination and truncation of low angle, in addition to discontinuous layers of fibrous crystals calcite (gypsum pseudomorphs second?), interpreted as records of a shallow to moderately deep platform with hypersalinity events. The cover Limestone consists of rolled and massive, siltstone rich in iron oxide, and lime thin with wavy bedding megamarcas interpreted as deposits moderately deep mixed platform dominated by waves. Limestone with fine corrugated laminating / ripple marks and fans crystals (pseudomorphs second aragonite), intercalated with shales were interpreted as deposits deep platform and supersaturated in CaCO3. With calcareous structures Slip including convoluted laminations and syn-sedimentary faults characterized slope deposits, while Neptunian dykes, filled with limestone breccias, and deformed layers between non deformed layers suggest seismic activity. Three stratigraphic surfaces divide the carbonate succession studied: S1 separates the covers dolomitica and limestone and is interpreted as transgressive surface, while surfaces S2 and S3 within the limestone cover are considered limits facies. Facies deformed occur throughout the sequence, separated by intervals without strain, and were split into three packages (A, B and C). Packages A and C exhibit ductile-brittle structures like folds, faults and bedding convoluted, while the B package contains structures formed in brittle regime as failures and fractures. Analysis of C and O isotopes showed negative values ​​similar to found in other carbonate covers the world. The data 13C isotope values ​​between -4 and -6 in the case dolomite , limestone while in the case 13C the values ​​reaches to -7 without co- variance of the 18 O isotope indicates change by meteoric fluids or by dolomitization . The sequence described in Tangara Sierra expands the occurrence of carbonate layers in South America and corroborates the interpretation of an extensive carbonate platform post- glaciation Puga , related to Marinoano event , this part of the Amazon Craton.
Palavras-chave: Estratigrafia - Região de Tangará da Serra (MT)
Tangará da Serra (MT)
Fácies deposicionais
Cráton Amazônico
Cap carbonate
Deposicional facies
Paleoambiente - Região de Tangará da Serra (MT)
Amazon craton
Área(s) do CNPq: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA: GEOCIÊNCIAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da instituição: UFAM
Departamento: Instituto de Ciências Exatas
Programa: Programa de Pós-graduação em Geociências
Citação: SOARES, Joelson Lima. Estratigrafia e paleoambiente da capa carbonática neoproterozóica, sul do cráton amazônico, região de Tangará da Serra (MT). 2008. 83 f. Dissertação (Mestrado em Geociências) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.ufam.edu.br/handle/tede/3259
Data de defesa: 6-May-2008
Appears in Collections:Mestrado em Geociências

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação - Joelson Lima Soares.pdfDissertação - Joelson Lima Soares.pdf6,67 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.