???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/5610
Tipo do documento: Dissertação
Título: Efeito de borda sobre a estrutura de comunidade de morcegos em floresta de terra-firme, Amazônia Central
Autor: Neves Junior, Luiz Ramos 
Primeiro orientador: Webber, Antonio Carlos
Primeiro membro da banca: Mesquita, Rita de Cássia Guimarães
Segundo membro da banca: Fischer, Erich Arnold
Terceiro membro da banca: Menin, Marcelo
Resumo: Na região da Amazônia brasileira, grande parte das florestas vem sofrendo perdas e alterações com o decorrer dos anos, resultado de ações antrópicas, como o desmatamento e construções de rodovias. Estas ações criam ambientes de borda nas florestas primárias que estão sujeitas aos efeitos intrínsecos que influenciam tanto a parte abiótica como a biótica. Neste estudo foi investigada como a frequência de captura, a estrutura e a composição das comunidades de morcegos respondem ao efeito de borda em floresta de terra-firme. O estudo foi realizado na Fazenda Experimental da UFAM e áreas próximas localizadas na BR-174, Amazônia Central. Em 50 noites (2.100 horas-rede), foram capturados 401 morcegos de 30 espécies pertencentes a cinco famílias: Phyllostomidae (24 spp.), Emballonuridae (2 spp.), Thyropteridae (1 sp.), Mormoopidae (1 sp.) e Vespertilionidae (2 spp.). Destas espécies, 10 representaram 91,48% das capturas. Carollia spp. foi a espécie no total com o maior número de capturas (62,07%), e houve maior diferença na frequência de captura no ambiente de borda. Artibeus concolor, Artibeus gnomus, Artibeus obscurus, Rhinophylla pumilio, Pteronotus parnellii, Sturnira tildae, Phyllostomus discolor e Lonchophylla thomasi não apresentaram diferença nas frequências de capturas entre os ambientes de borda e floresta. Phyllostomus elongatus foi mais frequente no interior do que na borda. A técnica de Escalonamento Multidimensional Não Métrico (NMDS) permitiu verificar que existe uma bem marcada separação entre as frequências de captura das 10 espécies mais capturadas e dos dados de ocorrência para o ambiente de borda e o interior de floresta. Estas mostraram-se heterogeneamente distribuídas entre os dois ambientes. Os frugívoros, pertencentes às subfamílias Carollinae e Stenodermatinae, foram os mais capturados e que apresentaram diferença na frequência de captura no ambiente de borda. Insetívoros-catadores foram a segunda guilda mais capturada, mas não apresentaram diferenças entre os ambientes, assim como os insetívoros-aéreos, nectarívoros e sanguinívoros. Concluiu-se que com os primeiros resultados desse trabalho pode-se dar início ao entendimento de como o efeito de borda atua na estrutura e composição das comunidades de morcegos para algumas regiões de floresta na Amazônia Central.
Abstract: In the brazilian Amazon region, most of the forests have suffered losses and changes within the years, as the result of human activities such as deforestation and construction of highways. These actions create edge environments in old-growth forests that are subject to intrinsic effects that influence both the abiotic as the biotic part. This study investigated the frequency of capture, structure and communities composition of bats responding to edge effects in tropical rain forest. The study was conducted at Fazenda Experimental da UFAM and surrounding areas located at highway BR-174, Central Amazonia. In 50 Nights (2100 nethours), 401 bats were captured, 30 species in five families: Phyllostomidae (24 spp.) Emballonuridae (2 spp.), Thyropteridae (1 sp.), Mormoopidae (1 sp.) and Vespertilionidae (2 spp.). Of these species, 10 represent 91.48% of the catch. Carollia spp. was the specie with the highest total number of catches (62.07%), and there was a greater difference in the frequency of capture in the border environment. Artibeus concolor, Artibeus gnomus, Artibeus obscurus, Rhinophylla pumilio, Pteronotus parnellii, Sturnira tildae, Phyllostomus discolor and Lonchophylla thomasi did not differ in the frequencies of capture in environments edge and interior forest. Phyllostomus elongatus was more frequent in the interior than on the edge. The technique of non-metric Multidimensional Scaling (NMDS), has shown that there is a well-marked separation between the frequencies of catches of 10 species and occurrence data for the environment and the inside edge of forest. These proved to be heterogeneously distributed between the two environments. The frugivorous, belonging to the subfamilies Carollinae and Stenodermatinae were captured and the most that showed differences in the frequency of capture in the border environment. Insectivore-gatherers were the second most frequently captured guild, but no differences between the environments, as well as airinsectivores, nectarivores and sanguinivorous. We concluded that with the first results of this work, we can begin to understand how the edge effect acts in the community structure and composition of bats species to some areas of forest in Central Amazonia
Palavras-chave: Morcegos - frequência de captura
Efeito de borda
Capturas dos morcegos
Área(s) do CNPq: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da instituição: UFAM
Departamento: Instituto de Ciências Biológicas
Programa: Programa de Pós-graduação em Diversidade Biológica
Citação: NEVES JUNIOR, Luiz Ramos. Efeito de borda sobre a estrutura de comunidade de morcegos em floresta de terra-firme, Amazônia Central. 2012. 36 f. Dissertação (Mestrado em Diversidade Biológica) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.ufam.edu.br/handle/tede/5610
Data de defesa: 9-Feb-2012
Appears in Collections:Mestrado em Diversidade Biológica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação - Luiz R. Neves Junior.pdf506,64 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons