???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/6419
Tipo do documento: Tese
Título: Corpo negro e saúde: um estudo sobre Afrobrasileiros, Aids e Ações afirmativas
Autor: Silva, Adailton da 
Primeiro orientador: Almeida, Alfredo Wagner Berno de
Resumo: Esta tese sustenta que, em um momento singular no contexto nacional e internacional, aproveitado com perspicácia por um conjunto de militantes engajados e altamente qualificados no debate público, foi possível que uma série de demandas das organizações políticas do Movimento Negro pudessem ser parcialmente atendidas através do Programa Estratégico de Ações Afirmativas População Negra e Aids (PEAAPNA). Estes militantes alternaram-se em espaços específicos como: os espaços de produção acadêmica sobre saúde, as organizações da sociedade civil de militância política do enfrentamento do racismo antinegro, organizações internacionais e instâncias de gestão de políticas públicas. Desde a compreensão de certos usos da noção de saúde em antropologia, chega-se a situar o tema desta tese por seu foco em uma política de Ações Afirmativas (AA) para a saúde dos negros no Brasil. Na proposição de um olhar crítico sobre como o corpo negro foi introduzido como questão na discussão antropológica a partir do Século XIX, destaca-se o diálogo com as ciências da saúde. Levando em conta o modo como a antropologia caracterizou os africanos e seus descendentes em uma condição de quase-humanidade, esteve notadamente apontada a ausência de plena saúde, seja por hábitos e contextos insalubres, por herança cultural e biológica, ou organização social incapaz de prover adequadas condições de vida. Emerge destas formulações o debate entre a antropologia colonialista e a militância pan-africanista, com características depreciativas na comparação entre o processo de construção do reconhecimento da diferença de afroamericanos e ameríndios na comunidade das nações. Isto contribuiu para a proliferação de certa formulação do lugar destinado aos africanos e seus descendentes na narrativa que trata da epidemia de Aids no mundo. É com destaque à contribuição de diferentes setores dos movimentos negros na construção da Política Nacional de Atenção Integral a Saúde da População Negra (PNAISPN) e sua relação com o PEAAPNA que se explicita a correlação construída entre as ferramentas conceituais da AA e de Saúde da População Negra.
Abstract: This doctoral dissertation sustains that, in a singular moment in the national and international contexts, taking advantage of it with perspicacity by a group of committed militants and highly qualified to public debate, it was possible that a series of demands from political organizations of the Black Movement were partially satisfied through the Strategical Program of Affirmative Actions, Black People and Aids (PEAAPNA). These militants alternated in specific places such as: places of academic production about health, organizations from civil society of political militancy of confrontation of anti-black racism, international organizations and instances of public policies management. Since the understanding of certain uses of the notion of health in anthropology, it comes to situate the topic of this dissertation for its focus on a policy of Affirmative Actions to the health of black people in Brazil. In the proposition of a critical view of how the black body was introduced as a question in the anthropological discussion since the XIX century, it is highlighted the dialogue with the health sciences. Taking into account the way anthropology characterized the Africans and their descendants in a condition of almost-humanity, it was notably pointed out the absence of plain health, being it because of unsafe habits and contexts, biological and cultural heritage, or social organization unable to provide appropriate conditions of life. The debate among the colonialist anthropology and the pan-africanist militancy emerges from these formulations, with derogatory characteristics in the comparison between the process of construction and the recognition of the difference between the African-Americans and Amerindians in the community of nations. This contributed to the spread of certain formulation of the place designated to Africans and their descendants in the narrative that talks about the Aids epidemy in the world. It is with emphasis to the contribution of different sections of black movements in the construction of the National Policy of Integral Attention to the Health of Black People (PNAISPN) and its relation with PEAAPNA that it is explained the correlation elaborated with the conceptual tools of AA and the Health of Black People.
Palavras-chave: Movimento Negro
HIV/Aids
Saúde da População Negra
Black Movement
HIV/Aids
Health of Black People
Área(s) do CNPq: CIÊNCIAS HUMANAS: ANTROPOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da instituição: UFAM
Departamento: Museu Amazônico
Programa: Programa de Pós-graduação em Antropologia Social
Citação: SILVA, Adailton da. Corpo negro e saúde: um estudo sobre Afrobrasileiros, Aids e Ações afirmativas. 2018. 318 f. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/6419
Data de defesa: 9-Mar-2018
Appears in Collections:Doutorado em Antropologia Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_AdailtonSilva_PPGAS.pdf1,93 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons