???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/7156
Tipo do documento: Dissertação
Título: Ataques de onças a humanos na Amazônia brasileira: uma análise na perspectiva de uso e ocupação do solo
Título(s) alternativo(s): Jaguar attacks on humans in the Brazilian Amazonia
Autor: Ferreira, Fabricia Reges 
Primeiro orientador: Fonseca, Rogério
Primeiro membro da banca: Andrade, Paulo Cesar Machado
Segundo membro da banca: Silveira, Ronis da
Resumo: O ataque a humanos por grandes carnívoros mamíferos é relatado na literatura científica e popular. As espécies de felinos conhecidas por atacar humanos inclui tigres (Panthera tigris), leões (Panthera leo), pumas (Puma concolor), leopardos (Panthera pardus). Em contraste com a maioria dos outros grandes carnívoros, os ataques de onças-pintadas (Panthera onca) a humanos são considerados extremamente raros, pairando uma visão geral de que ataques de onças são quase inexistentes. No Brasil existem poucos estudos sobre esses ataques. Desta forma, o objetivo dessa pesquisa foi investigar se na Amazônia brasileira ocorreram ataques de onças e caracterizá-los. E analisar quais fatores de riscos humanos e ecológicos influenciaram nos ataques de onças-pintadas e onças-pardas a seres humanos. As informações sobre os ataques foram cedidas pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (CENAP/ICMBio) e também, foram coletadas de noticiários onde as fontes e a veracidade foram validadas. Essas informações compõem o banco de dados do projeto OIAA Onça - Observatório de Imprensa, Avistamento e Ataques de Onças. Para caracterização dos ataques foi usado análise descritiva. E para comparação das taxas de desmatamento foi feito teste de correlação de Pearson. No bioma Amazônia foram levantadas 77 casos de ataques sendo (n=13) antes de 1950 e (n=64) entre 1950 e 2018. O Amazonas foi o estado com maior quantidade de ataques relatados (n=42). As principais vítimas eram homens, adultos, desacompanhados e que estavam caçando. Menos de 4% dos ataques ocorreram por onças-pardas. Vinte e nove casos foram classificados como ataques provocados e 30 casos foram classificados como não provocados. O ataque de onça é considerado raro (0,94/ano) quando comparados com ataque de leopardo (29,91/ano), tigre (18,80/ano) e leão (16,79/ano) e puma (1,88/ano) na América do Norte. Ataques por onças ocorre na Amazônia e não são tão raros como se acreditava. Medidas podem ser tomadas para reduzir o número de óbitos. Obtendo maior conhecimento sobre o comportamento humano e das onças, para que ocorram menos mortes de seres humanos e de onças.
Abstract: Attacks on humans by large mammals carnivorous are a phenomena reported in the scientific and popular literature. The list of carnivores known to attack humans included tigers (Panthera tigris), lions (Panthera leo), cougars (Puma concolor) and leopards (Panthera pardus). In contrast of the most of other large carnivores, jaguar (Panthera onca) attacks on humans are considered extremely rare, with a general view that jaguar attacks are almost non-existent. In Brazil there are few studies of these attacks. In this way, the objectives of this research were to investigate if in the Brazilian Amazonia attacks of jaguars occurred and to characterize them. And to analyze which factors of human and ecological risks influenced the attacks of jaguars and jaguars to humans. Information on the attacks was provided by the Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (CENAP/ICMBio) and also were collected from newsreels where the sources and veracity were validated. This information is part of the OIAA Onça - Observatório de Imprensa, Avistamento e Ataques de Onças database. A descriptive analysis was performed to characterize the attacks. And a correlation test was done to compare the relationship between deforestation rates and jaguar’s attacks. In the Amazon, 77 cases of attacks were registered before 1950 (n=13) and between 1950 and 2018 (n=64). Amazonas was the state with the highest number of reported attacks (n=42). The main victims were adults, men, unaccompanied and who were hunting in rural areas during the day. Less than 4% of the attacks occurred with cougars. Twenty-nine cases were classified as provoked attacks, and 30 cases were classified as unprovoked. Annual were jaguar attacks were considered rare (0.94/year) when compared to leopard attacks (29.91/year), tiger (18.80/year) and lion (16.79/year). Attacks by jaguars occur in the Amazonia and are not as rare as previously believed. Measures can be taken to reduce the number of people injured. Getting better known about human behavior and jaguars, so that fewer human and jaguar deaths occur.
Palavras-chave: Conflitos homem-animal
Ataques de animais silvestres
Onça-pintada
Desmatamento
Onça-parda
Área(s) do CNPq: CIÊNCIAS AGRÁRIAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da instituição: UFAM
Departamento: Faculdade de Ciências Agrárias
Programa: Programa de Pós-graduação em Ciências Florestais e Ambientais
Citação: FERREIRA, Fabricia Reges. Ataques de onças a humanos na Amazônia brasileira: uma análise na perspectiva de uso e ocupação do solo. 2019. 61 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Embargado
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nd/4.0/
URI: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/7156
Data de defesa: 17-Apr-2019
Appears in Collections:Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Reprodução Não Autorizada.pdf46,6 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons