???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/7200
Tipo do documento: Dissertação
Título: Memória social do uso de plantas medicinais em uma comunidade ribeirinha do Amazonas
Título(s) alternativo(s): Social memory of the use of medicinal plants in a riverine community of Amazonas
Autor: Sá, Rommel Gonçalves de 
Primeiro orientador: Calegare, Marcelo Gustavo Aguilar
Primeiro membro da banca: Silva, Iolete Ribeiro da
Segundo membro da banca: Witkoski, Antonio Carlos
Resumo: Esta dissertação é resultado da pesquisa realizada na comunidade ribeirinha de São Francisco, no Careiro da Várzea/Amazonas, na qual se investigou a memória social do uso de plantas medicinais. O objetivo foi investigar a memória social de moradores dessa comunidade ribeirinha acerca dos conhecimentos de plantas medicinais. Os objetivos específicos foram: a) entender os aspectos relacionados à valorização dos saberes tradicionais de plantas medicinais; b) investigar as formas de manutenção da memória; c) compreender os processos de transmissão de tais saberes. A metodologia foi situada dentro da pesquisa qualitativa, pois visou à compreensão de significados e sentidos atribuídos à memória social do uso de plantas medicinais. Os instrumentos utilizados foram: entrevistas semiestruturadas com questões norteadoras, que tiveram como foco as narrativas orais dos participantes, tendo como fonte as rememorações e vivências acerca de suas experiências de vida dentro do tempo vivo da memória social, em sua duração, contrapondo imagens do presente com imagens do passado para colocar em ato novas formas. Também a observação participante foi utilizada como forma de negociar sentidos e preencher lacunas deixadas durante as falas e permitir conhecer melhor as construções das lembranças, com anotações em diário de campo. Os participantes da pesquisa foram 10 moradores da própria comunidade, maiores de 18 anos e teve como ponto de propulsão o método “bola de neve”, utilizado para definir a amostra. Os dados coletados, na forma de narrativas orais, foram tratados de forma analítica conforme o que é estabelecido na Análise de Conteúdo de Bardin (2011). Os resultados da pesquisa apontaram para: transmissão oral dos saberes tradicionais geralmente por mulheres (principalmente as mães e, secundariamente, as avós), mas também por “espíritos da floresta”; finalidade da utilização de plantas para emprego em doenças físicas como associado a outras práticas para doenças espirituais; quem cuida de outras pessoas é prioritariamente as mulheres, enquanto homens cuidam mais de si; a parte mais utilizada das plantas é as folhas; há preocupação com a dosagem, preparação dos chás e remédios caseiros, também com interação com remédios de farmácia; existência de canteiros nos quintais. Concluímos que a comunidade investigada ainda valoriza o uso de plantas medicinais e que os seus conhecimentos foram herdados oralmente de geração em geração, aclamando a mulher como guardiã de tais saberes e confirmando, com isso, que a memória social do uso de plantas medicinais ainda subsiste nesse lugar. Outra conclusão é que os processos de transmissão dos saberes se dão em uma relação de ensino e aprendizagem, havendo uma educação doméstica em razão da cultura da família ribeirinha, que põe a mulher como educadora e agente praxiológico. Além disso, a mulher também é detentora dos saberes sobre saúde e assume, na comunidade, o papel de cuidadora, preocupada em tratar e curar as doenças.
Abstract: This dissertation is the result of a research performed in an Amazonian riverine community of São Francisco, Careiro da Várzea / Amazonas, which the social memory of the use of medicinal plants was investigated. The objective was to investigate the residents’ social memory from the riverine community about the knowledge of medicinal plants. Specific objectives were: a) to understand the aspects related to the valuation of the traditional knowledge of medicinal plants; b) investigate ways of maintaining memory; c) understand the processes of transmission of such knowledge. The methodology was the qualitative research, due to its focus in understanding the meanings and senses attributed to the social memory of medicinal plants’ use. The instruments were: semi-structured interviews with guiding questions that focused on the oral narratives by participants, having as their source the memories and experiences about their daily life within the alive time of social memory, in its duration, present with images from the past to put into action new forms. Participant observation was also used as a way to negotiate directions and fill in gaps left during the speeches and to better understand the construction of memories, with notes in field diaries. The participants of the research were 10 community’s residents, over 18 years old and had the “snowball” method used to define the sample. The data collected, in the form of oral narratives, were treated in an analytical way according to what is established in the Content Analysis of Bardin (2011). The results of the research pointed to: oral transmission of traditional knowledge usually by women (mainly mothers and, secondarily, grandmothers), but also by "forest spirits"; purpose of the use of plants to use in physical diseases as associated with other practices for spiritual diseases; who cares for other people is primarily women, while men take care of themselves; the most used part of the plants is the leaves; there is concern about dosage, preparation of teas and home remedies, also interacting with pharmacy remedies; existence of plant beds in backyards. We conclude that the investigated community still values the use of medicinal plants and that their knowledge was inherited orally from generation to generation, acclaiming the woman as guardian of such knowledge and confirming that the social memory of the use of medicinal plants still subsists in that place. Another conclusion is that the processes of transmission of knowledge are given in a relationship of teaching and learning, having a domestic education due to riverine family’s culture, which puts women as educators and praxiological agents. In addition, the woman is also the holder of the knowledge about health and takes on the role of caregiver in the community, concerned with treating and curing diseases.
Palavras-chave: Comunidades ribeirinhas - Amazonas (AM)
Plantas medicinais
Conhecimento tradicional associado - Careiro da Várzea (AM)
Memória coletiva - Careiro da Várzea (AM)
Psicologia Social
Área(s) do CNPq: CIÊNCIAS HUMANAS: PSICOLOGIA: PSICOLOGIA SOCIAL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da instituição: UFAM
Departamento: Faculdade de Psicologia
Programa: Programa de Pós-graduação em Psicologia
Citação: SÁ, Rommel Gonçalves de. Memória social do uso de plantas medicinais em uma comunidade ribeirinha do Amazonas. 2019. 101 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nd/4.0/
URI: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/7200
Data de defesa: 30-Apr-2019
Appears in Collections:Mestrado em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação_RommelSá_PPGPSI.pdf2,87 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons