Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/4821
Tipo do documento: Dissertação
Título: Surdez, linguagem e educação: quem ouve o sujeito surdo?
Autor: Siqueira, Ariela Soraya do Nascimento 
Primeiro orientador: Souza, Sérgio Augusto Freire de
Primeiro membro da banca: Souza, Sérgio Augusto Freire de
Segundo membro da banca: Moura, Maria Cecília de
Terceiro membro da banca: Silva, Raynice Geraldine Pereira da
Resumo: O objetivo deste trabalho é investigar como está ocorrendo o processo de aquisição da Língua Portuguesa na modalidade escrita como segunda língua para alunos surdos inseridos na escola regular. A pesquisa enquadra-se na qualidade de pesquisa de campo, em que foram aplicados questionários com o objetivo de caracterizar o perfil dos sujeitos envolvidos no processo de ensino-aprendizagem. A metodologia de pesquisa é a abordagem microetnográfica que privilegia “o como acontece”, diferentemente da etnografia em geral, que estuda “o que acontece”. A coleta dos dados consistiu em: a) questionário destinado aos alunos surdos para caracterização de seu perfil e suas impressões sobre o ensino da língua portuguesa na modalidade escrita; b) questionário destinado às professoras para caracterização do perfil dessas profissionais e sua dificuldades no ensino; c) observações das aulas uma vez por semana em cada escola; e d) registro em diário de campo. A amostra é composta por alunos surdos que estão cursando as três séries do ensino médio e por suas professoras de língua portuguesa em duas escolas da rede estadual, na cidade de Santarém, no Estado do Pará. A análise do corpus da pesquisa está pautada na investigação de quais fatores podem promover o aprendizado dos alunos surdos e que entraves podem ocorrer nesse processo de aquisição de segunda língua. Investiga-se, assim, o conhecimento das professoras sobre metodologias para ensinar o sujeito surdo, o conhecimento sobre a Língua Brasileira de Sinais, os recursos utilizados em suas aulas, as impressões dos alunos sobre o ensino da língua portuguesa ofertado a eles e como acontece a interação entre alunos surdos e suas respectivas professoras na sala de aula. Utiliza-se como aporte teórico a Concepção Interacionista em duas linhas teóricas principais que fundamentam essa abordagem: a Hipótese da Interação e a Teoria Sociocultural, esta última baseada na proposta de Vygotsky para a aquisição da linguagem, para a aquisição de segunda língua e para o ensino-aprendizagem. Os dados coletados com este trabalho permitiram evidenciar que o sujeito surdo não está na realidade incluído na escola regular, pois está excluído do processo de ensino-aprendizagem. Para que o aluno surdo seja sujeito ativo em sua formação, é necessário que haja mudanças na formação e na visão do educador quanto à inserção do aluno surdo. São negados a este aluno a formação, a interação e as condições necessárias para seu pleno desenvolvimento.
Abstract: This work aims at researching how the written Portuguese second-language acquisition process takes place when it comes to deaf students enrolled in regular public schools. It is a field research that used questionnaires to characterize the profile of the subjects involved in the teaching-learning process. The methodology follows a microethnographic approach that focuses on how things happen rather than what happens. The data gathering step encompassed a) a questionnaire for the deaf students in order to define their profile and their impressions about the teaching of written Portuguese; b) a questionnaire for the teachers in order to define their profiles and the problems they come across when teaching; c) once-a-week classroom observation in each school; d) register in a field diary. The sample was chosen encompassing students taking the three high-school years and their two Portuguese teachers in two public schools in the city of Santarém, in Pará State. The corpus analysis aimed at researching about the factors that help deaf students to learn and those that hinder their learning. We focus on the knowledge teachers have about teaching methodologies for the deaf, their knowledge about the Brazilian Sign Language (LIBRAS), the resources used in the classroom, the students’ impressions about how the Portuguese language is taught and, last, on the interaction that happens in the process. As theoretical background we rely on the Interactionism Approach in its two sub-approach that characterizes it: the interaction hypothesis and the social and cultural theory, the latter based on Vygotsky’s view on language acquisition. The data and its analysis give us evidence that deaf students are not in fact included in the regular school, since they are excluded from the teachinglearning process. In order to change this, deaf students have to be active in their own formation process. We conclude that changes in formation and, therefore, in the teachers’ view concerning the deaf student insertion are necessary. What we can see now is that formation, interaction and their fully-development conditions are denied to them.
Palavras-chave: Surdez
Ensino-aprendizagem
Língua Brasileira de Sinais - Libras
Educação inclusiva
Área(s) do CNPq: LINGUÍSTICA, LETRAS E ARTES: LETRAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da instituição: UFAM
Departamento: Instituto de Ciências Humanas e Letras
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras
Citação: SIQUEIRA, Ariela Soraya do Nascimento. Surdez, linguagem e educação: quem ouve o sujeito surdo?. 2015. 137f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.ufam.edu.br/handle/tede/4821
Data de defesa: 21-Mai-2015
Aparece nas coleções:Mestrado em Letras

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Ariela Soraya do Nascimento Siqueira.pdfReprodução Total Autorizada933,68 kBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.