???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/7466
Tipo do documento: Tese
Título: Exigência de lisina para juvenis de Tambaqui (Colossoma macropomum CUVIER, 1818) com base no desempenho produtivo, morfohistológico e fisiológico
Autor: Liebl, Ariany Rabello da Silva 
Primeiro orientador: Oliveira, Adriano Teixeira de
Primeiro coorientador: Furuya, Wilson Massamitu
Segundo Coorientador: Bussons, Márcia Regina Fragoso Machado
Primeiro membro da banca: Oliveira, Ana Cristina Belarmino de
Segundo membro da banca: Oliveira, Alzira Miranda de
Terceiro membro da banca: Jesus, Rogério Souza de
Quarto membro da banca: Aride, Paulo Henrique Rocha
Resumo: O nível de exigência de lisina pode ser determinado através de métodos como o dose-resposta associado ao conceito de proteína ideal, e tende a melhorias no desempenho produtivo, mantendo a saúde do peixe. O objetivo desta tese foi determinar a exigência de lisina para máximo desempenho de juvenis de tambaqui (Colossoma macropomum), concomitante, verificar a influência do aminoácido no hemograma e na bioquímica do sangue, na atividade das enzimas digestivas, na histomorfologia intestinal e hepática, na composição química do filé e nas tendências de produção dos rendimentos do peixe. As variáveis analisadas foram validadas por ANOVA, teste de Tukey, e análise de regressão (p<0,05). Os tambaquis (33,88 ± 2,47g e 11,72 ± 0,36 cm) foram alimentados com dietas contendo 6,60, 9,72, 12,84, 15,96, 19,08 e 22,20 g. Kg-1 de lisina total (respectivamente: 0,00, 4,00, 8,00, 12,00, 16,00 e 20,00 g. Kg-1 de L-lisina). O ganho de peso relativo, consumo da dieta, índices e teor de gordura, altura e perímetro do intestino anterior, as taxas de crescimento específico, de eficiência proteica e de crescimento relativo – peso, os pesos e comprimentos dos intestinos, a túnica serosa intestinal, o peixe eviscerado, e os teores proteicos e lipídicos dos filés, não foram alterados pelos níveis (p>0,05). Outrossim, não foram constatadas diferenças para as concentrações de hemoglobina, hematócrito, CHCM, eosinófilos, monócitos, trombócitos, glicose, triglicerídeos, para atividade da amilase, lipase, e para as variáveis morfométricas do corpo do peixe (p>0,05). No entanto, o peso final (p=0,01), a taxa de crescimento relativo - comprimento (p=0,02), ganho de peso total (p=0,04), eficiência da lisina (p=0,00) e a conversão alimentar aparente (p=0,00), diferiram ao nível 15, 96 g. Kg-1 de lisina total. O consumo da lisina (p=0,00) e o comprimento das nadadeiras (p=0,00) dos tambaquis aumentaram linearmente os níveis de lisina. Túnicas intestinais nas porções muscular anterior (p=0,00), submucosa anterior (p=0,00) e média (p=0,01), e mucosa anterior (p=0,00), foram influenciadas pela dieta, bem como, o tecido hepático, onde foram verificadas hepatodistrofias e aumento do índice hepatossomático (p=0,04). A altura das vilosidades do intestino médio (p=0,01) foi maior no nível de menor adição de L-lisina (9,72 g.Kg-1 de lisina total, 4,00 g de L-lisina) e o perímetro do nível 12,84 g.Kg-1 de lisina se sobrepôs ao do 22,20 g.Kg-1 de lisina. No intestino posterior, altura e perímetro (p=0,00; p=0,02) expressaram variações não relacionadas diretamente com os níveis de lisina. Mucinas ácidas foram mais elevadas no intestino anterior com 22,20 g. Kg-1 de lisina na dieta (p=0,001). O VCM (p=0,00), HCM (p=0,00), eritrócitos totais (p=0,02), linfócitos (p=0,00) e neutrófilos (p=0,00), foram alterados apenas no período inicial (p<0,05). Colesterol (p=0,00) e leucócitos totais (p=0,02) expressaram influências não atribuídas à lisina (p=0,00). Os tambaquis do nível 15,96 g. Kg-1 de lisina alcançaram maior crescimento (p=0,01) e concentração de proteína intestinal (p=0,00) e sanguínea (p=0,01) mais elevada. A razão entre o comprimento padrão e total (p=0,00) do corpo dos peixes foi modificada nos níveis 12,84 e 15,96 g. Kg-1 de lisina (p=0,03). Para pele bruta (p=0,03), a melhor resposta foi verificada no nível de 12,84 g. Kg-1 de lisina (p=0,03). O teor de umidade (p=0,00) e os minerais do filé (p=0,01) foram alterados, respectivamente, com lisina 22,20 g. Kg-1 de lisina, e 6,60 e 22,20 g. Kg-1 de lisina. O máximo de filé com pele foi estimando em 18,22 g.Kg-1 de lisina total (p=0,001). Desta forma, conclui-se que juvenis de tambaqui possuem exigência de desempenho é 15, 96 g. Kg-1 de lisina total ou 5, 91% da proteína da dieta.
Abstract: The level of lysine requirement can be determined by methods such as dose response associated with the ideal protein concept, and tends to improve yield performance while maintaining fish health. The objective of this thesis was to determine the lysine requirement for maximum performance of tambaqui (Colossoma macropomum) juveniles, concomitantly, to verify the influence of amino acid on blood count and blood biochemistry, activity of digestive enzymes, intestinal and hepatic histomorphology, fillet chemical composition and yield trends of fish. The variables analyzed were validated by ANOVA, Tukey's test, and regression analysis (p<0.05). Tambaqui (33.88 ± 2.47g and 11.72 ± 0.36 cm) were fed diets containing 6.60, 9.72, 12.84, 15.96, 19.08 and 22.20 g. Kg-1 of total lysine (respectively: 0.00, 4.00, 8.00, 12.00, 16.00 and 20.00 g. Kg-1 of L-lysine). Relative weight gain, diet intake, fat content and index, anterior bowel height and perimeter, specific growth rates, protein efficiency and relative growth - weight, bowel weights and lengths, intestinal serous tunic , the gutted fish, and the protein and lipid contents of the fillets were not altered by the levels (p>0.05). Furthermore, no differences were found for hemoglobin, hematocrit, MCHC, eosinophil, monocyte, thrombocyte, glucose, triglyceride concentrations for amylase activity, lipase, and morphometric variables of the fish body (p>0.05). However, final weight (p=0.01), relative growth rate - length (p = 0.02), total weight gain (p=0.04), lysine efficiency (p=0.00 ) and apparent feed conversion (p = 0.00) differed at the level of 15.96 g. Kg-1 of total lysine. Lysine consumption (p = 0.00) and fin length (p=0.00) of tambourines linearly increased lysine levels. Intestinal tunics in the anterior muscle (p=0.00), anterior submucosa (p=0.00) and middle (p=0.01), and anterior mucosa (p=0.00) portions were influenced by diet as well as such as liver tissue, where hepatodystrophies were observed and increased hepatosomal index (p=0.04). The height of the midgut villi (p =0.01) was higher at the lowest L-lysine addition level (9.72 g.Kg-1 total lysine, 4.00 g L-lysine) and the perimeter level 12.84 g.Kg-1 of lysine overlapped with that of 22.20 g.Kg-1 of lysine. In the posterior intestine, height and perimeter (p=0.00; p=0.02) expressed variations not directly related to lysine levels. Acid mucins were higher in the anterior intestine at 22.20 g.Kg of lysine in the diet (p=0.001). MCV (p=0.00), MCH (p=0.00), total erythrocytes (p=0.02), lymphocytes (p=0.00) and neutrophils (p=0.00) were changed only in the initial period (p<0.05). Cholesterol (p= 0.00) and total leukocytes (p= 0.02) expressed influences not attributed to lysine (p=0.00). The tambourines of level 15.96 g. Kg-1 of lysine achieved higher growth (p=0.01) and higher intestinal (p=0.00) and blood (p= 0.01) protein concentration. The ratio between the standard and total length (p = 0.00) of the fish body was modified at levels 12.84 and 15.96 g. Kg -1 of lysine (p= 0.03). For crude skin (p=0.03), the best response was found at the level of 12.84 g. Kg -1 of lysine (p=0.03). Moisture content (p=0.00) and fillet minerals (p=0.01) were altered, respectively, with lysine 22.20 g. Lysine kg-1, and 6.60 and 22.20 g. Kg-1 of lysine. The maximum fillet with skin was estimated at 18.22 g. Kg -1 total lysine (p=0.001). Thus, it is concluded that tambaqui juveniles have a performance requirement of 15.96 g. Kg-1 of total lysine or 5.91% of dietary protein.
Palavras-chave: Aquicultura
Peixes - Alimentação e rações
Peixes - Fisiologia
Área(s) do CNPq: CIÊNCIAS AGRÁRIAS: RECURSOS PESQUEIROS E ENGENHARIA DE PESCA: AQUICULTURA: PISCICULTURA
???metadata.dc.subject.user???: Zootecnia
Aquicultura
Nutrição de peixes
Aminoácidos
Hematologia
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Amazonas
Sigla da instituição: UFAM
Departamento: Faculdade de Ciências Agrárias
Programa: Programa de Pós-graduação em Ciências Pesqueiras nos Trópicos
Citação: LIEBL, Ariany Rabello da Silva. Exigência de lisina para juvenis de Tambaqui (Colossoma macropomum CUVIER, 1818) com base no desempenho produtivo, morfohistológico e fisiológico. 2019. 164 f. Tese (Doutorado em Ciências Pesqueiras nos Trópicos) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus (AM), 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
URI: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/7466
Data de defesa: 30-Sep-2019
Appears in Collections:Doutorado em Ciências Pesqueiras nos Trópicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_ArianyLiebl_PPGCIPET2,59 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons